Rua Bahia, 41 - Bairro Brasil - Itu - SP

A maternidade e o melasma

Apesar de não existir um tratamento preventivo para o melasma, o uso de protetor solar físico e alguns clareadores fracos podem minimizar a tonalidade das manchas

Uma das principais preocupações das mulheres durante a gravidez é o aparecimento de melasma no rosto. Mas por que isso e o que leva a maior incidência desse fator durante a gravidez?
De acordo com a dermatologista Agnes Nakano, durante a gestação há o estímulo das células que produzem o pigmento, escurecendo também outras áreas do corpo como mamilos, axilas, região genital e a linha nigra (aquela escura na barriga).
Essas pigmentações podem regredir espontaneamente após um ano do parto, porém em 30% essas alterações permanecem.
“Por isso é fundamental, durante a gestação, o uso de protetores solares do tipo físico, que contêm óxido de zinco e dióxido de titânio, que atuam como uma barreira física para proteger a pele do escurecimento agravado pelos raios solares e luzes visíveis. Podemos utilizar alguns clareadores fracos durante a gestação, como o ácido azelaico e o ácido ascórbico (vitamina C)”, afirma.
A médica ressalta que para evitar o aparecimento do melasma ou seu agravamento durante a gestação, é fundamental o uso de protetor solar físico, mesmo dentro de casa e à noite, pois são as luzes visíveis que escurecem a mancha. Também é importante evitar o calor, como, por exemplo, do forno quente, que estimula as células que produzem o pigmento, os chamados melanócitos.
“Apesar de não existir um tratamento preventivo para o melasma durante a gestação, o uso do protetor solar físico com clareadores fracos ajudam a minimizar a totalidade da mancha, tornando-a inaparente, melhorando, assim, a autoestima da mulher, que neste período da vida está em um processo cheio de mudanças hormonais e não precisa de mais um fator para se preocupar, podendo se dedicar à maternidade de todos os cuidados que o momento necessita”, finaliza.